Philosophica: International Journal for the History of Philosophy

Volume 19, Issue 37, April 2011

Leibniz

Ubirajara R. de Azevedo Marques
Pages 95-107

Contra os Leibnizianos, A Favor de Leibniz? “Inato” e “A Priori” em Kant

O texto em pauta tem como objectivo discutir a suposta afinidade - tantas vezes propalada - entre o “inato” na concepção leibniziana e o “a-priori” como o compreende Kant. A literatura a respeito, se não exatamente copiosa face a outros temas da Kant-Forschung, é ao menos antiga, remontando, com efeito, ao final do século XVIII, e, portanto, aos primeiros comentários sobre a filosofia recém-chegada (favoráveis ou contrários a ela), publicados em boa medida no Philosophisches Magazin do leibniziano J. A. Eberhard, mas também aos “dicionários” (C.C.E. Schmid; 1786) e “dicionários enciclopédicos” (G.S.A. Mellin; 1797-1804) que já então se propunham a de algum modo suavizar o acesso ao idealismo transcendental. Aquela suposta afinidade - “ainda hoje um clichê corrente” (M. Oberhausen; 1997) -, ela, aqui, será, então, principalmente enfocada por meio dessa literatura inaugural, base de muito equívoco a propósito do “a-priori” kantiano.