PDC Homepage

Home » Products » Purchase

Phenomenology 2005

Volume 2, Issue Part 1, 2007

Selected Essays from Latin America Part 1

Marco Antonio Casanova
Pages 83-130
DOI: 10.7761/9789738863309_4

O Homem Entediado
Tédio, Niilismo e Técnica

The subject of the paper is Heidegger’s conception of nihilism as event of abandonment of Being and the consequences of this conception to human Dasein. In order to reconstruct such a conception and to undertake an analysis of these consequences, I concentrate myself on Heidegger’s interpretation of Nietzsche’ thought as well as on the development of elements of this interpretation inside of Heidegger’s critics on modern technology. Through these two moments I come then to show in which measure Nietzsche’s philosophy and the world of technology as its radicalization imply a lost of the self for human Dasein. My final thesis in this context is: boredom is the fundamental attunement of the nihilistic world because boredom has an essential connection with the lost of the self. “O andarilho sem destino reparou então/ que seus sapatos tinham a poeira indiferente/ de todas as pátrias pitorescas; e que seus olhos conservavam as noites e os dias/ dos climas mais vários do universo;/ e que suas maos se agitaram em adeuses/ a milhares de cais sem saudades e amigos;/ e que todo o seu corpo tinha conhecido/ as mil mulheres que Salomão deixou./ E o andarilho sem destino viu/ que não conhecia a Tarde que está oculta no tempo/ sem paisagens terrenas, sem turismo, sem povos,/ mas com a vastidão infi nita onde os horizontes/ são as nuvens que fogem”. Jorge de Lima, “Tarde oculta no tempo”, em: Tempo e Eternidade “A primeira e única evidência que assim me é dada, no ambito da experiencia absurda, e a revolta. Privado de qualquer conhecimento, impelido a matar ou a consentir que se mate, só disponho dessa evidência que é reforçada pelo dilaceramento em que me encontro. A revolta nasce do espetáculo da desrazao diante de uma condição injusta e incompreensível”. (Albert Camus, O homem revoltado, p. 21)

Usage and Metrics
PDC